play_arrow

keyboard_arrow_right

skip_previous play_arrow skip_next
00:00 00:00
playlist_play chevron_left
volume_up
play_arrow

Empreendedorismo

#53 – O que vem por aí em 2022?

Adriano Martins Antonio 30 de dezembro de 2021 735 204 3


Background
share close

Como já fizemos a retrospectiva de 2021 na última pílula, fica a questão: o que vem por aí em 2022?

No próximo ano, a transição de saída do isolamento ainda vai continuar, algumas novas tecnologias estarão mais presentes no nosso dia a dia, e além disso, a Realidade Virtual, as IAs e o 5G também vão vir com muita força.

Alguns problemas, como os ataques cibernéticos, também irão continuar acontecendo. Aliás, é bom lembrar: ano que vem é ano de eleição, e a tendência é que os ataques como os direcionados ao Ministério da Saúde continuem acontecendo.

Mas, voltando ao início, não dá pra negar: a pandemia serviu como alerta para melhorarmos o nosso planejamento em relação a projetos, principalmente na questão das mudanças.

Se não nos adaptarmos, toda vez que formos pegos de surpresa (como foi o caso da pandemia), vamos estar despreparados e a adaptação vai ser ainda mais demorada.

Com os novos modelos de trabalho, que pelo jeito vieram para ficar, haverá a necessidade de muita reestruturação pelas empresas, e mudanças tanto nos modelos de negócio quanto no comportamento dos ambientes de trabalho em 2022.

A chave para tudo isso é uma só: comunicação.

Seja no trabalho remoto ou híbrido, não importa: estabelecer uma comunicação clara é o mais importante para fazer tudo funcionar e aumentar a transparência das informações.

Será preciso testar muitas metodologias e ferramentas, se atentar às falhas de comunicação e como monitorar as informações (usando o Kanban, por exemplo), manter um sistema de comunicação frequente, etc.

Os gerentes também terão uma baita responsabilidade: verificar a satisfação dos funcionários. Afinal, muita gente vem repensando a carreira, e os índices de pedidos de demissão estão altos.

É fundamental criar um ambiente onde a abertura seja incentivada, assim como a honestidade entre as pessoas, a colaboração, a comunicação clara, para que o time se sinta valorizado. No ambiente remoto, é muito provável que haja funcionários desmotivados ou alienados, e por isso a comunicação diária é tão importante.

Além disso, a tecnologia em si sofrerá grandes mudanças.

Sobre as novidades tecnológicas, o 5G sem dúvidas é uma das mais comentadas. Ele já está em operação em alguns países como a China, os Estados Unidos e as Filipinas, mas no Brasil isso só vai ser implementado agora. Então, pode ser que demore alguns anos para que todas as grandes cidades estejam com essa tecnologia implementada.

O 5G poderá representar uma revolução por expandir o uso de ferramentas avançadas como a Realidade Virtual e Realidade Aumentada.

Além disso, é provável que o 5G seja usado em empresas, câmeras HD de segurança, controle de redes smart, entre outras coisas.

Aliás, falando sobre a Realidade Virtual e também sobre a Realidade Aumentada, vale dizer que elas vão estar associadas no desenvolvimento de ambientes virtuais imersivos.

Hoje em dia, essas tecnologias ainda estão limitadas ao mundo dos games e do entretenimento. Mas, a história mostra que o que pode começar como brinquedo pode muito bem se tornar uma ferramenta essencial no nosso cotidiano.

É provável que a Realidade Aumentada e Virtual sejam usadas para tarefas do cotidiano, ou para unir trabalhadores remotos em um ambiente mais imersivo.

Outra tendência (mais que tendência, uma realidade), é a Inteligência Artificial. É difícil pensar em algo que não seja impactado por essa tecnologia em um futuro próximo.

E, por fim, outro ponto que é uma realidade para 2022 é o fortalecimento da segurança cibernética.

Aqui entramos em um caminho de via dupla: ao mesmo tempo em que a cybersegurança amplia nossas possibilidades de inovação e abrem espaço para o mercado, as ameaças também vão se aperfeiçoando.

Lembre-se também que a LGPD está aí, e mesmo que não queiramos, a segurança cibernética se tornou algo “obrigatório”. 

Com a expansão do trabalho remoto, o home office também se torna uma brecha enorme para inúmeros ataques cibernéticos. Funcionários estão espalhados pelo país, usando sua máquina de um jeito totalmente próprio e muitas vezes sem nenhuma segurança. Então, é bom ficar de olho!

Outra ameaça que tende a crescer está ligada à criptomoedas, que ainda estão em evolução, especialmente em relação à segurança, mas têm sido cada vez mais usadas (e roubadas).

Também devemos pensar nos ataques de malware móvel, por conta das carteiras digitais e plataformas de pagamento.

Os cuidados também precisarão estar nas cadeias de suprimento das empresas, que são ataques de violação de dados e infecção por malware. Esses ataques não afetam só a empresa, mas prejudicam clientes, provedores, parceiros e outras partes envolvidas.

E já que o ano que vem é eleitoral, não tem jeito: campanhas de desinformação e fake news também serão frequentes. Os deep fakes também vão entrar nessa dança, já que replicam vozes e rostos de um jeito quase imperceptível.

Assim, para se proteger dessas ameaças ou se adaptar às novas tecnologias, regimes de trabalho e transformações, só existe uma saída: aprender a se adaptar às mudanças, fazer uma transformação digital estratégica, investir em um planejamento de projetos mais profissional, aumentar a segurança cibernética e investir em habilidades.

Ouça a pílula na íntegra!

Este podcast é um oferecimento da PMG Academy e é patrocinado pela BRQ Digital Solutions.

Tagged as: , , , , .

Avalie
Episódios Anteriores
Similar episodes
Post comments (0)

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *